quarta-feira, 20 de julho de 2011

Coleta e Processamento de Amostras

Vários são os equipamentos utilizados para obtenção de resultados laboratoriais, onde a cada dia são aperfeiçoados através de novas tecnologias. Independente do laboratório ou da técnica para o teste de diagnóstico, a obtenção de resultados confiáveis começa com a adoção do método de coleta apropriado e manuseio adequado da amostra. A coleta, o processamento, a análise da amostra e a interpretação dos resultados devem ser efetuados como uma cadeia seqüencial de eventos completa, para que se obtenha o diagnóstico pretendido.
  
1.      Recipientes para coleta

  • Tubo com ácido etilenodiaminotetracético (EDTA) 
O tubo de tampa lavanda contém o EDTA no qual tem a finalidade de preservar melhor o volume celular e as características morfológicas das células no esfregaço corado.
Função: Conservar a morfologia das células sanguineas.
Principal uso: Hematologia.
Exames: Hemograma completo.

  • Tubo de coleta de Soro   
O tudo de tampa vermelha, destinado à obtenção de amostra de soro, não possui anticoagulante. O sangue nele deve então coagular para que se obtenha o soro necessário às análises.
Função: Usado para diversas funções, como testes sorológicos.
Principal uso: Sorologioa e bioquimica.
Exames: Testes sorológicos.


  • Tubo com heparina 
O tubo de tampa verde contém heparina. Esse anticoagulante é utilizado para alguns testes bioquímicos onde outros anticoagulantes podem influenciar no resultado.
Função: Conservante multi-funcional, principalmente para aferições gasosas.
Principal uso: Gasometria.
Exames: Hormônios, gasometria, metais pesados.



  • Tubo com fluoreto 
O tubo de tampa cinza contém fluoreto de sódio, que não é um anticoagulante. O fluoreto inibe enzimas que participam da via glicolítica, impedindo a metabolização da glicose pelos eritrócitos.
Função: Retarda o metabolismo glicolítico.
Principal uso: Glicemia.
Exames: Exame de glicose (Matem conservada a taxa de glicose).
 


  • Tubo com citrato 
O tubo de tampa azul contém citrato. Essa substância é utilizada para a realização de testes como Tempo de ativação de protrombina (TAP) e Tempo de tromboplastina parcial ativada (TTPA).
Função: Preserva os fatores hemostásicos.
Principal uso: Estudos da coagulação.
Exames: Coagulograma completo.
 
 


2.      Procedimento para manuseio das amostras
  • Procedimentos hematológicos 
A amostra deve ser analisada preferencialmente dentro de duas horas, inclusive para uma melhor precisão da contagem de plaquetas. Caso o sangue não seja analisado nesse período, deve–se preparar o esfregaço e em seguida, manter o tubo sob refrigeração, podendo durar até oito horas. A refrigeração do tubo auxilia na preservação dos componentes celulares. Ao contrário, o congelamento pode causar lise celular levando a alterações nos resultados hematológicos. Já os esfregaços devem ser fixados com metanol e nunca devem ser refrigerados, pois a condensação de água na lâmina pode alterar a morfologia celular. 
Para os exames hematológicos, o tubo com EDTA 10% deve ser preenchido com o volume especificado para não resultar em alterações dos componentes celulares, o que pode levar a um falso resultado.

  • Procedimentos para bioquímica clinica 
O sangue coletado deve ser mantido em repouso durante 15 a 30 minutos, e em seguida, centrifugado para separar os componentes celulares e o soro. A fase líquida do sangue deve ser separada dos elementos celulares, pois as células metabolizam alguns componentes químicos do soro. O soro obtido deve ser analisado rapidamente ou mantido sob refrigeração durante 24 a 48 horas. Caso haja necessidade de armazenamento por um período superior a 48 horas, o soro deve ser congelado. Para uma maior confiabilidade no resultado o soro deve analisado preferencialmente em 24 horas, mesmo sabendo que os principais constituintes bioquímicos são estáveis quando o armazenamento é feito a uma temperatura de -70Cº. Neste caso, ao descongelar, o soro deve ser homogeneizado para a análise. 
Sangue com fluoreto (glicose e lactato) e citrato (TAP e TTPA) devem ser centrifugados em menos de 40 minutos pós coleta para evitar alterações pré analíticas nos resultados. Amostras de soro para determinação de bilirrubinas devem estar devidamente protegidas da luz. Amostras lipêmicas e/ou hemolisadas interferem de forma significativa nos exames que utilizam metodologia enzimática e colorimétrica.

FONTE:
THRALL, M. A. Hematologia e Bioquímica Clínica Veterinária. 1 ed. Roca: São Paulo, p. 37-40, 2007.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário